O Projeto de Lei 4.516/20, de autoria do Senador Arolde de Oliveira (PSD/RJ), altera a lei que trata dos crimes de lavagem ou ocultação de bens para incluir pessoas físicas ou jurídicas que prestem, mesmo que eventualmente, serviços de advocacia ou de consultoria jurídica no controle e prevenção à lavagem de dinheiro. 

Segundo o autor do projeto a proposta não tem por finalidade retirar prerrogativa da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de regular o exercício da advocacia tampouco atribuir ao advogado a tarefa de verificar a licitude dos bens, valores ou direitos recebidos a título de honorários advocatícios, mas de que os advogados ou sociedade de advogados forneçam informações sobre pagamentos que possam constituir indícios de lavagem de dinheiro.

Fonte: Agência Senado